Projetos

projeto indio
Sugestão de Projeto Didático
Título: Nossa gente, gente nossa: O índio.

Tema: Pluralidade cultural.

Série: A partir da Classe de Alfabetização

Refletindo sobre o tema:
Não cabe pensar o Brasil sem lembrar da diversidade étnica-cultural que se entrelaça no seio desse pais tão plural e grandioso.


O povo indígena talvez seja o que deveria estar na ordem do dia, no que diz respeito a valorização e preservação de uma cultura que tanto engrandece e continua nos ajudando na compreensão de que somos parte da natureza e que devemos garantir a nossa sobrevivência preservando-a.
O estudo sobre os primeiros donos da terra Brasil e o entendimento de que não se trata de uma cultura inferior, mais sim diferente e que nem por isso é menos importante na formação do povo brasileiro, nos dá a dimensão do quanto ainda precisamos deixar o preconceito e saindo da ignorância, unirmos a eles na construção de um mundo mais justo e melhor para todos.

Objetivo geral:

Promover o contato direto do estudante com as diversas linguagens, desenvolvendo o seu lado lúdico e crítico a partir do tema proposto, levando-se em conta:
- A diversidade cultural
- A formação de uma memória nacional.
- Visitação indígena

Objetivando ampliar o conhecimento e aquisições referentes a cultura dos índios, é interessante organizar a ida à Escola de alguns integrantes da comunidade indígena.

Atividades experimentais:

Em Ciências pode-se apresentar para os alunos uma proposta baseada em atividades experimentais seqüenciais, vinculadas à utilização de recursos naturais, como: raízes, sementes, ervas e frutos.
O objetivo é a conscientização quanto ao relacionamento do índio com a natureza, ao respeito na utilização de seus recursos, à valorização dos seus costumes e interferência a nível de contribuição para nossas vidas, à visão do ser como integrante, ao reconhecimento e à valorização de nossa biodiversidade

26/07/07
excluir
Diva,
Atividades Sugeridas:

- Extração de pigmentos
- Elaboração de tintas
- Confecção de trabalhos adequados ao tema, utilizando as tintas elaboradas
- Plantio, manutenção e colheita de ervas (capim santo, erva-doce, erva-cidreira)
- Maceração
- Preparação de chás
- Degustação

OBS: É importante para as crianças a exposição dos trabalhos.

Paty 10 Abr O ÍNDIO, SUA ARTE E CURIOSIDADES
Classe: Pré.
Faixa etária: 5/ 6 anos.
Duração do projeto: 4 meses
Área: Natureza e Sociedade; Artes (visual, musical e dança).
Conteúdo: Conhecer a arte indígena (artesanato, pintura, dança, música) e suas influências ao longo da história.

Justificativa:

Escolhi trabalhar com este tema porque o índio faz parte de uma civilização que ajudou a construir a história do nosso país, e este tema possibilita conhecer algumas curiosidades sobre a vida e a arte deste povo, e suas influências sociais, culturais e artísticas ao longo da história.

Objetivo geral:

- Propiciar aos educandos através de diferentes fontes de informações (livros, fotos, entrevistas, revistas) e materiais artísticos, conhecimentos básicos sobre a vida do índio e sua arte.

Objetivos (que a criança seja capaz de...)
- Ouvir com curiosidade histórias de outras culturas;
- Retirar informações a respeito das imagens contidas no texto;
- Estabelecer relações e comparações da cultura estudada com a sua atual.


Orientações didáticas:
- Valorizar os conhecimentos prévios;
- Organizar o espaço e a disposição das crianças nas situações de roda;
- Garantir na roda a participação do grupo;
- Ler textos pertinentes ao assunto;
- Escolher bons portadores com boas ilustrações;
- Coletar e selecionar material para o trabalho com atividades artísticas.

Bibliografia:

- Coleção – “Povos do Passado – Os Índios do Brasil”;
- Livro – “A Amazônia, Mitos e Lendas”;
- Artes Plumárias do Brasil (imagens);
- Pesquisa na internet;
- Vídeos.

26/07/07
excluir
Diva,
Etapas previstas:

- Leitura de lendas sobre os protetores da natureza, histórias folclóricas tais como: A Lenda do Eldorado, No Reino dos Urubus, As Flechas – Serpentes...;
- Coletar em diferentes fontes de informação imagens para o trabalho com leitura de imagem em duplas;
- Exibição das fitas de vídeo “Xingu” e “Planeta Vivo” (por etapas) com intervenções previamente elaboradas pelo professor;
- Entrevistar
- Especialistas na área para melhorar a aprendizagem por parte do grupo;
- Utilizar diferentes materiais (tinta guache, argila, tinta plástica, pincéis, nanquim, penas, barbantes, cola, tesoura, papéis de diferentes formas e texturas para o trabalho com a arte indígena).

Fechamento (compartilhado com as crianças)

- Exposição de trabalhos artísticos (modelagem em argila, pinturas, colagem, maquetes).

Avaliação:

- Convidar os pais para a apreciação da exposição.

Paty 14 Abr Mais um...
Coloquei um outro mini projetinho no blog...
Visitem e deixem comentários se gostarem...Ok?
www.paixaodeeducar.blig.ig.com.br
Beijos carinhosos!!!
este projeto é de uma educadora de outro estado que fez a gentileza de dividir com a gente.






PROJETO PÁSCOA



HISTÓRIA: Amor,
Era hora de ir para a cama, e o coelhinho se agarrou firme nas longas orelhas do coelho pai. Depois de ter certeza de que o papai coelho estava ouvindo, o coelhinho disse: “adivinha o quanto eu te amo!”. “Ah, acho que isso eu não consigo adivinhar” – respondeu o coelho pai. “Tudo isto” – disse o coelhinho, esticando os braços o mais que podia. Só que o coelho pai tinha os braços mais compridos, e disse: “e eu te amo tudo isto!” “Hum,isso é um bocado” pensou o coelhinho. “Eu te amo toda a minha a altura” – disse o coelhinho. “E eu te amo toda a minha altura” – disse o coelho pai. “Puxa,isso é bem alto, pensou o coelhinho. Eu queria ter braços compridos assim”. Então o coelhinho teve uma boa idéia. Ele se virou de ponta-cabeça apoiando as patinhas na árvore, e gritou: “eu te amo até as pontas dos dedos dos meus pés, papai!” “E eu te amo até as pontas dos dedos dos teus pés” – disse o coelho pai balançando o filho no ar. “Eu te amo toda a altura do meu pulo!”, riu o coelhinho saltando de um lado para outro. “E eu te amo toda a altura do meu pulo” – riu também o coelho pai, e saltou tão alto que suas orelhas tocaram os galhos da árvore. “Isso é que é saltar; pensou o coelhinho. Bem que eu gostaria de pular assim.” “Eu te amo toda a estradinha daqui até o rio” – gritou o coelhinho. “Eu te amo até depois do rio, até as colinas.” – disse o coelho pai. “É uma bela distância pensou o coelhinho.” Mas, àquela altura já estava sonolento demais para continuar pensando. Então, ele olhou para além das copas das árvores, para a imensa escuridão da noite e concluiu: nada podia ser maior que o céu. “Eu te amo até a Lua!” – disse ele, e fechou os olhos. “Puxa, isso é longe” – falou o papai coelho – “longe mesmo!” O coelho pai deitou o coelhinho na sua caminha de folhas, inclinou-se e lhe deu um beijo de boa-noite. Depois, deitou-se ao lado do filho e sussurrou sorrindo: “eu te amo até a Lua... ida e volta!”
PROJETO PÁSCOA.
Eixos temáticos:
Matemática, Artes Visuais, Natureza e Sociedade,Corpo e Movimento e Linguagem oral e Escrita.

Objetivos:
conhecer o sentido da páscoa e desenvolver o raciocínio lógico-matemático, a atenção, a percepção, a imaginação e a criatividade.

Idade: a partir de 4 anos

Duração: 1 semana

Desenvolvimento:
conversa informal sobre a Páscoa seu significado e seus símbolos.Deixe que as crianças falem sobre o que entendem por Páscoa e vá informando sobre o verdadeiro sentido .Depois você pode cantar várias músicas sobre a Páscoa e pedir aos alunos que representem a música através da expressão corporal .




DESCOBRINDO E BRINCANDO NO BERÇÁRIO”


JUSTIFICATIVA:
Percebendo que o bebê é um sujeito ativo, capaz de construir o seu conhecimento, pensamos em continuar a qualificação do Berçário, propiciando que essa construção ocorra num ambiente favorável, repleto de estímulos e desafios planejados de acordo com suas necessidades. Através dessa intencionalidade é que justificamos o ato de descobrir e brincar no Berçário.

OBJETIVO:
Propiciar um ambiente repleto de oportunidades que favoreçam o descobrir, o experenciar e o brincar de modo prazeroso e constante, sem barreiras, sem negações, com ações que transmitam segurança, criem vínculos e sejam ricos em sutilezas de ações. Essas descobertas experenciadas no brincar é que irão ajudar no desenvolvimento das habilidades que as crianças estão adquirindo (noção de espaço, consciência corporal, percepções, linguagem, habilidades motoras).

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Tendo a idéia de que a infância é uma construção social, caracterizada por uma fase da vida de desenvolvimento físico, cognitivo, psíquico e social, onde se aprende a interagir com o ambiente em que se vive, bem como as regras que regem a sociedade da qual faz parte, não procuramos impor uma aprendizagem, mas buscamos dar a liberdade, para que a criança, através de seu interesse e experienciações, busque os meios de assimilar as novas descobertas. Para tanto se faz necessário que o ambiente seja propício para estas descobertas. Sendo as professoras responsáveis por elaborar um ambiente adequado, objetivado e seguro para este fim.
Depois de passado da fase “invisível’ do Berçário, ficamos comprometidas em construir ações que remetessem a uma atuação mais vinculada as especificidades de cada bebê, percebendo sempre o que nos diziam através de suas diversas linguagens, cuidando para respeitar seu tempo e suas carências.
Através da construção de materiais, da adequação do espaço e da relação diária com os bebês, descobrimos:

[...]A aprendizagem é uma atividade cooperativa e comunicativa, na qual as crianças constroem conhecimento, dão significado ao mundo, junto aos adultos e, igualmente importante, com outras crianças: por isso enfatizamos que a criança pequena como aprendiz, é um co-construtor ativo.(DAHLBERG, MOSS e PENCE, 2003, p. 72)


Ao planejarmos as diversas oportunidades de as crianças realizarem novas experiências levamos em conta: o que será experiência para cada uma delas? O que vai tocá-las? É importante para a criança ou é apenas uma atividade planejada pela professora sem levar em conta os interesses e os modos de pensar e agir dos pequenos? O que se planeja está pautado nos jeitos de ser e de se expressar daquelas crianças? Respeita os seus tempos? A proposta tem a intenção de ampliar e enriquecer o repertório cultural, cinéstico, afetivo, relacional dos pequenos? (TRISTÃO, 2006, p. 52)
Continuaremos pautando nosso trabalho (qualificação do espaço e das ações) no que Galardini e Giovannini (2002, p. 118) dizem:


“O que costumamos chamar de ambiente generoso é o tipo de ambiente que resulta não somente da riqueza e variedade dos materiais oferecidos, mas também das atitudes dos professores, implícitas no cuidado com que os materiais foram procurados, escolhidos e oferecidos ás crianças. Trata-se de uma atitude generosa, que se caracteriza pela atenção e escuta constantes por parte dos adultos que sabem observar, oferecer coisas e fazer isso na medida e nos momento certos.”


PROJETO BRINCANDO COM FOLCLORE 1. Apresentação EMEI Profª. Eunice Lima Silveira Turmas: Creche e Pré-Escola Período: Manhã e Tarde Ano: 2004 Duração: 15 dias 2. Justificativa: Na idade pré-escolar, as crianças estão passando por umatransição em relação ao seu comportamento, pois estão começando amesclar um comportamento anteriormente apenas formado por reflexos (proveniente de quando eram bebês), com uma nova fase: alinguagem. Nesta transição a criança sente necessidade de fingir ser alguém, defantasiar situações. Daí surge toda a simbologia refletida nas brincadeirasde faz-de-conta. Elas vivem num mundo imaginário onde são capazes de pensar e agir imitando situações variadas. Com isto, vemos a importânciade se trabalhar o Folclore. Pensamos aqui, no Folclore como um grandequebra-cabeça, um grande brinquedo, em que cada peça é fundamental: asdanças, as lendas, as brincadeiras, as parlendas, as adivinhações, ascantigas, as receitas, os brinquedos, etc. Essas são as peças que formamesse jogo chamado cultura brasileira. Quanto mais se brinca com esse jogomais se conhece a cultura do nosso país, logo ele não poderia ficar fora doespaço pré-escolar. 3. Objetivo: Promover o desenvolvimento integral das crianças, dentro de umambiente com propostas lúdicas e de cunho educativo, pois a cultura de um povo é um bem precioso que deve ser cultivado. E nosso objetivo é tirar a poeira da palavra Folclore e brincar com as possibilidades que ela oferece. 4. Conteúdos) Conceituais: Construir conceitos com as crianças sobre o que é folcloreatravés de experiências vivenciadas por elas. b) Procedimentais: Permitir que as crianças se apropriem de conhecimentosda cultura humana como novas formas de brincar, cantar, dançar, falar, etc.c) Atitudinais: Incentivar a valorização e o respeito pelas diferentes formas deviver de diferentes grupos e pessoas. Advertisement 5. Áreas) Formação Pessoal e Social: socialização, respeito, valorização do outro,autonomia, iniciativa. b) Linguagem Oral e Escrita: fala, diálogo, argumentação, parlenda,travalíngua, adivinhações, cantigas, escrita, receita, leitura, lendas, textosinformativos.c) Natureza e Sociedade: história dos brinquedos e brincadeiras, diferentesformas de cantar, brincar e contar histórias.d) Movimento: dança, brincadeiras.e) Música: cantigas.f) Arte: dramatização de lendas.g) Matemática: construção de brinquedos (formas, cores, medidas, receitas). 6. Recursos: livros e revistas (fontes de informação), sucata, papéis coloridos,cola, tesoura, Cds com histórias e cantigas, brinquedos, fantasias, máquinafotográfica, filme fotográfico. 7. Avaliação: A observação das formas de expressão das crianças, de seuenvolvimento nas atividades e satisfação nas próprias produções será uminstrumento de acompanhamento do trabalho que ajudará na avaliação e noreplanejamento da ação educativa.

RELÓGIO



IMPORTANTE

Estive observando os meus blogs amigos , quando visitei o INFINITO DA CRIS, e vi esta reportagem que fiquei estarrecida! observe! CLIQUE AQUI, Alerta "Empresas que testam seus produtos em animais"