Projetos

projeto indio
Sugestão de Projeto Didático
Título: Nossa gente, gente nossa: O índio.

Tema: Pluralidade cultural.

Série: A partir da Classe de Alfabetização

Refletindo sobre o tema:
Não cabe pensar o Brasil sem lembrar da diversidade étnica-cultural que se entrelaça no seio desse pais tão plural e grandioso.


O povo indígena talvez seja o que deveria estar na ordem do dia, no que diz respeito a valorização e preservação de uma cultura que tanto engrandece e continua nos ajudando na compreensão de que somos parte da natureza e que devemos garantir a nossa sobrevivência preservando-a.
O estudo sobre os primeiros donos da terra Brasil e o entendimento de que não se trata de uma cultura inferior, mais sim diferente e que nem por isso é menos importante na formação do povo brasileiro, nos dá a dimensão do quanto ainda precisamos deixar o preconceito e saindo da ignorância, unirmos a eles na construção de um mundo mais justo e melhor para todos.

Objetivo geral:

Promover o contato direto do estudante com as diversas linguagens, desenvolvendo o seu lado lúdico e crítico a partir do tema proposto, levando-se em conta:
- A diversidade cultural
- A formação de uma memória nacional.
- Visitação indígena

Objetivando ampliar o conhecimento e aquisições referentes a cultura dos índios, é interessante organizar a ida à Escola de alguns integrantes da comunidade indígena.

Atividades experimentais:

Em Ciências pode-se apresentar para os alunos uma proposta baseada em atividades experimentais seqüenciais, vinculadas à utilização de recursos naturais, como: raízes, sementes, ervas e frutos.
O objetivo é a conscientização quanto ao relacionamento do índio com a natureza, ao respeito na utilização de seus recursos, à valorização dos seus costumes e interferência a nível de contribuição para nossas vidas, à visão do ser como integrante, ao reconhecimento e à valorização de nossa biodiversidade

26/07/07

Diva,
Atividades Sugeridas:

- Extração de pigmentos
- Elaboração de tintas
- Confecção de trabalhos adequados ao tema, utilizando as tintas elaboradas
- Plantio, manutenção e colheita de ervas (capim santo, erva-doce, erva-cidreira)
- Maceração
- Preparação de chás
- Degustação

OBS: É importante para as crianças a exposição dos trabalhos.

 O ÍNDIO, SUA ARTE E CURIOSIDADES

Faixa etária: 5/ 6 anos.
Duração do projeto: 4 meses
Área: Natureza e Sociedade; Artes (visual, musical e dança).
Conteúdo: Conhecer a arte indígena (artesanato, pintura, dança, música) e suas influências ao longo da história.

Justificativa:

Escolhi trabalhar com este tema porque o índio faz parte de uma civilização que ajudou a construir a história do nosso país, e este tema possibilita conhecer algumas curiosidades sobre a vida e a arte deste povo, e suas influências sociais, culturais e artísticas ao longo da história.

Objetivo geral:

- Propiciar aos educandos através de diferentes fontes de informações (livros, fotos, entrevistas, revistas) e materiais artísticos, conhecimentos básicos sobre a vida do índio e sua arte.

Objetivos (que a criança seja capaz de...)
- Ouvir com curiosidade histórias de outras culturas;
- Retirar informações a respeito das imagens contidas no texto;
- Estabelecer relações e comparações da cultura estudada com a sua atual.


Orientações didáticas:
- Valorizar os conhecimentos prévios;
- Organizar o espaço e a disposição das crianças nas situações de roda;
- Garantir na roda a participação do grupo;
- Ler textos pertinentes ao assunto;
- Escolher bons portadores com boas ilustrações;
- Coletar e selecionar material para o trabalho com atividades artísticas.

Bibliografia:

- Coleção – “Povos do Passado – Os Índios do Brasil”;
- Livro – “A Amazônia, Mitos e Lendas”;
- Artes Plumárias do Brasil (imagens);
- Pesquisa na internet;
- Vídeos.

26/07/07

Diva,
Etapas previstas:

- Leitura de lendas sobre os protetores da natureza, histórias folclóricas tais como: A Lenda do Eldorado, No Reino dos Urubus, As Flechas – Serpentes...;
- Coletar em diferentes fontes de informação imagens para o trabalho com leitura de imagem em duplas;
- Exibição das fitas de vídeo “Xingu” e “Planeta Vivo” (por etapas) com intervenções previamente elaboradas pelo professor;
- Entrevistar
- Especialistas na área para melhorar a aprendizagem por parte do grupo;
- Utilizar diferentes materiais (tinta guache, argila, tinta plástica, pincéis, nanquim, penas, barbantes, cola, tesoura, papéis de diferentes formas e texturas para o trabalho com a arte indígena).

Fechamento (compartilhado com as crianças)

- Exposição de trabalhos artísticos (modelagem em argila, pinturas, colagem, maquetes).

Avaliação:

- Convidar os pais para a apreciação da exposição.

Paty 14 Abr Mais um...
Coloquei um outro mini projetinho no blog...
Visitem e deixem comentários se gostarem...Ok?
www.paixaodeeducar.blig.ig.com.br
Beijos carinhosos!!!
este projeto é de uma educadora de outro estado que fez a gentileza de dividir com a gente.






PROJETO PÁSCOA



HISTÓRIA: Amor,
Era hora de ir para a cama, e o coelhinho se agarrou firme nas longas orelhas do coelho pai. Depois de ter certeza de que o papai coelho estava ouvindo, o coelhinho disse: “adivinha o quanto eu te amo!”. “Ah, acho que isso eu não consigo adivinhar” – respondeu o coelho pai. “Tudo isto” – disse o coelhinho, esticando os braços o mais que podia. Só que o coelho pai tinha os braços mais compridos, e disse: “e eu te amo tudo isto!” “Hum,isso é um bocado” pensou o coelhinho. “Eu te amo toda a minha a altura” – disse o coelhinho. “E eu te amo toda a minha altura” – disse o coelho pai. “Puxa,isso é bem alto, pensou o coelhinho. Eu queria ter braços compridos assim”. Então o coelhinho teve uma boa idéia. Ele se virou de ponta-cabeça apoiando as patinhas na árvore, e gritou: “eu te amo até as pontas dos dedos dos meus pés, papai!” “E eu te amo até as pontas dos dedos dos teus pés” – disse o coelho pai balançando o filho no ar. “Eu te amo toda a altura do meu pulo!”, riu o coelhinho saltando de um lado para outro. “E eu te amo toda a altura do meu pulo” – riu também o coelho pai, e saltou tão alto que suas orelhas tocaram os galhos da árvore. “Isso é que é saltar; pensou o coelhinho. Bem que eu gostaria de pular assim.” “Eu te amo toda a estradinha daqui até o rio” – gritou o coelhinho. “Eu te amo até depois do rio, até as colinas.” – disse o coelho pai. “É uma bela distância pensou o coelhinho.” Mas, àquela altura já estava sonolento demais para continuar pensando. Então, ele olhou para além das copas das árvores, para a imensa escuridão da noite e concluiu: nada podia ser maior que o céu. “Eu te amo até a Lua!” – disse ele, e fechou os olhos. “Puxa, isso é longe” – falou o papai coelho – “longe mesmo!” O coelho pai deitou o coelhinho na sua caminha de folhas, inclinou-se e lhe deu um beijo de boa-noite. Depois, deitou-se ao lado do filho e sussurrou sorrindo: “eu te amo até a Lua... ida e volta!”


PROJETO PÁSCOA.

Matemática, Artes Visuais, Natureza e Sociedade,Corpo e Movimento e Linguagem oral e Escrita.

Objetivos:
conhecer o sentido da páscoa e desenvolver o raciocínio lógico-matemático, a atenção, a percepção, a imaginação e a criatividade.

Idade: a partir de 4 anos

Duração: 1 semana

Desenvolvimento:
conversa informal sobre a Páscoa seu significado e seus símbolos.Deixe que as crianças falem sobre o que entendem por Páscoa e vá informando sobre o verdadeiro sentido .Depois você pode cantar várias músicas sobre a Páscoa e pedir aos alunos que representem a música através da expressão corporal .




DESCOBRINDO E BRINCANDO NO BERÇÁRIO”


JUSTIFICATIVA:
Percebendo que o bebê é um sujeito ativo, capaz de construir o seu conhecimento, pensamos em continuar a qualificação do Berçário, propiciando que essa construção ocorra num ambiente favorável, repleto de estímulos e desafios planejados de acordo com suas necessidades. Através dessa intencionalidade é que justificamos o ato de descobrir e brincar no Berçário.

OBJETIVO:
Propiciar um ambiente repleto de oportunidades que favoreçam o descobrir, o experenciar e o brincar de modo prazeroso e constante, sem barreiras, sem negações, com ações que transmitam segurança, criem vínculos e sejam ricos em sutilezas de ações. Essas descobertas experenciadas no brincar é que irão ajudar no desenvolvimento das habilidades que as crianças estão adquirindo (noção de espaço, consciência corporal, percepções, linguagem, habilidades motoras).

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Tendo a idéia de que a infância é uma construção social, caracterizada por uma fase da vida de desenvolvimento físico, cognitivo, psíquico e social, onde se aprende a interagir com o ambiente em que se vive, bem como as regras que regem a sociedade da qual faz parte, não procuramos impor uma aprendizagem, mas buscamos dar a liberdade, para que a criança, através de seu interesse e experienciações, busque os meios de assimilar as novas descobertas. Para tanto se faz necessário que o ambiente seja propício para estas descobertas. Sendo as professoras responsáveis por elaborar um ambiente adequado, objetivado e seguro para este fim.
Depois de passado da fase “invisível’ do Berçário, ficamos comprometidas em construir ações que remetessem a uma atuação mais vinculada as especificidades de cada bebê, percebendo sempre o que nos diziam através de suas diversas linguagens, cuidando para respeitar seu tempo e suas carências.
Através da construção de materiais, da adequação do espaço e da relação diária com os bebês, descobrimos:

[...]A aprendizagem é uma atividade cooperativa e comunicativa, na qual as crianças constroem conhecimento, dão significado ao mundo, junto aos adultos e, igualmente importante, com outras crianças: por isso enfatizamos que a criança pequena como aprendiz, é um co-construtor ativo.(DAHLBERG, MOSS e PENCE, 2003, p. 72)


Ao planejarmos as diversas oportunidades de as crianças realizarem novas experiências levamos em conta: o que será experiência para cada uma delas? O que vai tocá-las? É importante para a criança ou é apenas uma atividade planejada pela professora sem levar em conta os interesses e os modos de pensar e agir dos pequenos? O que se planeja está pautado nos jeitos de ser e de se expressar daquelas crianças? Respeita os seus tempos? A proposta tem a intenção de ampliar e enriquecer o repertório cultural, cinéstico, afetivo, relacional dos pequenos? (TRISTÃO, 2006, p. 52)
Continuaremos pautando nosso trabalho (qualificação do espaço e das ações) no que Galardini e Giovannini (2002, p. 118) dizem:


“O que costumamos chamar de ambiente generoso é o tipo de ambiente que resulta não somente da riqueza e variedade dos materiais oferecidos, mas também das atitudes dos professores, implícitas no cuidado com que os materiais foram procurados, escolhidos e oferecidos ás crianças. Trata-se de uma atitude generosa, que se caracteriza pela atenção e escuta constantes por parte dos adultos que sabem observar, oferecer coisas e fazer isso na medida e nos momento certos.”


PROJETO
BRINCANDO COM FOLCLORE
1. Apresentação EMEI Profª. Eunice Lima Silveira Turmas: Creche e Pré-Escola Período: Manhã e Tarde Ano: 2004 Duração: 15 dias

 2. Justificativa:

Na idade pré-escolar, as crianças estão passando por uma transição em relação ao seu comportamento, pois estão começando amesclar um comportamento anteriormente apenas formado por reflexos (proveniente de quando eram bebês), com uma nova fase: alinguagem. Nesta transição a criança sente necessidade de fingir ser alguém, defantasiar situações. Daí surge toda a simbologia refletida nas brincadeirasde faz-de-conta. Elas vivem num mundo imaginário onde são capazes de pensar e agir imitando situações variadas. Com isto, vemos a importânciade se trabalhar o Folclore. Pensamos aqui, no Folclore como um grandequebra-cabeça, um grande brinquedo, em que cada peça é fundamental: asdanças, as lendas, as brincadeiras, as parlendas, as adivinhações, ascantigas, as receitas, os brinquedos, etc. Essas são as peças que formamesse jogo chamado cultura brasileira. Quanto mais se brinca com esse jogomais se conhece a cultura do nosso país, logo ele não poderia ficar fora doespaço pré-escolar.

 3. Objetivo:

Promover o desenvolvimento integral das crianças, dentro de umambiente com propostas lúdicas e de cunho educativo, pois a cultura de um povo é um bem precioso que deve ser cultivado. E nosso objetivo é tirar a poeira da palavra Folclore e brincar com as possibilidades que ela oferece.

 4. Conteúdos) Conceituais:

Construir conceitos com as crianças sobre o que é folcloreatravés de experiências vivenciadas por elas. b) Procedimentais: Permitir que as crianças se apropriem de conhecimentosda cultura humana como novas formas de brincar, cantar, dançar, falar, etc.c) Atitudinais: Incentivar a valorização e o respeito pelas diferentes formas deviver de diferentes grupos e pessoas. Advertisement

 5. Áreas)

 Formação Pessoal e Social: socialização, respeito, valorização do outro,autonomia, iniciativa. b) Linguagem Oral e Escrita: fala, diálogo, argumentação, parlenda,travalíngua, adivinhações, cantigas, escrita, receita, leitura, lendas, textosinformativos.c) Natureza e Sociedade: história dos brinquedos e brincadeiras, diferentesformas de cantar, brincar e contar histórias.d) Movimento: dança, brincadeiras.e) Música: cantigas.f) Arte: dramatização de lendas.g) Matemática: construção de brinquedos (formas, cores, medidas, receitas).

 6. Recursos: livros e revistas (fontes de informação), sucata, papéis coloridos,cola, tesoura, Cds com histórias e cantigas, brinquedos, fantasias, máquinafotográfica, filme fotográfico.

 7. Avaliação: A observação das formas de expressão das crianças, de seuenvolvimento nas atividades e satisfação nas próprias produções será uminstrumento de acompanhamento do trabalho que ajudará na avaliação e noreplanejamento da ação educativa.


PROJETO DIA DA CRIANÇA P/ O JARDIM l
















OBS: ALGUMAS ATIVIDADES FOI CORTESIA DE BLOGS AMIGOS .

RELÓGIO



IMPORTANTE

Estive observando os meus blogs amigos , quando visitei o INFINITO DA CRIS, e vi esta reportagem que fiquei estarrecida! observe! CLIQUE AQUI, Alerta "Empresas que testam seus produtos em animais"